Da eletrônica para a massoterapia

Da eletrônica para a massoterapia

José Augusto Ayres conta que iniciou a qualificação profissional em Massoterapia em 2013. Ele atuava na área de Eletrônica e ainda como professor de artes marciais. “Comecei a fazer o curso como um complemento para as instrutorias em defesa pessoal e vi que ele me permitiria muito mais. Foi quando passei a trabalhar com massoterapia e também com a aplicação de Reiki. Deu muito certo e minha realidade financeira mudou, sendo que a nova atividade passou a ser a nova base de renda.”

Ele diz que o Curso do Filadélfia permite um entendimento interessante sobre fisiologia e técnicas de aplicação da massagem. “A profissão gera ganho contínuo de novos clientes e, gradativamente, pelo boca-a-boca, o volume de atendimentos aumenta. Me arrependo de não ter feito antes o Curso.”

José Augusto lembra que alguns colegas de eletrônica estranharam ele abandonar 22 anos de experiência para se aventurar numa nova profissão. “Hoje estou certo que alcanço resultados financeiros e em qualidade de vida do que a grande maioria dos ex-colegas”.